Conheça mulheres que quebraram tabus na área de tecnologia ao longo da história
Publicado em 25/09/2019
Categoria: Sua Empresa |
Tags: , , , , ,
homem e mulher conversando em frente a um computador

É comum não ouvirmos falar de mulheres que, ao longo da história, destacaram-se em áreas que não eram consideradas delas. Isso acontecia (e ainda acontece) na ciência, no esporte, na engenharia, enfim, em todos os campos de trabalho ditos “masculinos”.

Para contrariar essa lógica e evidenciar revolucionárias, o blog Repense traz mulheres que podem não ter seus nomes reconhecidos por todos, mas que foram essenciais para o desenvolvimento da tecnologia e da ciência da computação.

Ada Lovelace

Você sabe quem foi Ada Lovelace? Pode não parecer familiar, mas, se não fosse por ela, não teríamos computadores ou smartphones hoje em dia. A britânica foi a primeira programadora da história.

Em 1843, a condessa de Lovelace traduziu os trabalhos do italiano Charles Babbage. As notas continham um algoritmo criado para ser processado por máquinas, sendo considerado o primeiro programa de computador já criado.

Ada só teve seu trabalho reconhecido após sua morte, quando Alan Turing fez menção às suas descobertas. Em 2015, a BBC dedicou um documentário à história da pioneira da computação.

A criação da condessa de Lovelace é considerada tão relevante que, há muitos anos, no dia 15 de outubro, é comemorado em todo o mundo o Ada Lovelace Day, inspirando outras mulheres que desejam ingressar na área da ciência da computação.

Leia também:

>Mulheres recebem o mesmo tratamento que os homens no mercado de trabalho?

>Leyla Nascimento: saiba mais e inspire-se com a executiva de RH habituada a quebrar paradigmas

Grace Hopper

A capitã da marinha, doutora em Matemática e Física, foi responsável por tornar a linguagem do computador mais “humana”.

Grace Hopper criou seu próprio compilador, que traduz um programa de texto para a linguagem do computador. Isso eliminou a ideia de que os computadores só faziam aritmética.

Hopper também criou uma linguagem de programação chamada Flow-Matic, que serviu de base para o COBOL (COmmon Business Oriented Language), uma linguagem orientada para o processamento de banco de dados.

Em 1998, a marinha nomeou o navio USS Hopper em homenagem à Grace. Anualmente, é realizado no navio o congresso Grace Hopper Celebration of Women in Computing, celebrando os grandes feitos de mulheres na computação.

Hedy Lamarr

Hedwig Eva Maria Kiesler ou Hedy Lamarr, como era conhecida pelo público, foi uma mulher à frente do seu tempo. A austríaca fugiu para os Estados Unidos, onde fez sua fama como atriz de cinema, principalmente no emblemático filme Êxtase. Mas o que isso tem a ver com computação?

Não satisfeita em ser sucesso nas telonas, Lamarr também é uma das criadoras da tecnologia que serviu de embasamento para a criação do Wi-Fi moderno.

Hedy percebeu que era muito fácil interferir nos sinais que guiavam por rádio os torpedos da Marinha dos EUA, o que fazia com que se desviassem de sua trajetória inicial. Conversando com o compositor George Antheil, constataram que era possível alterar a frequência da mesma forma como se mudam as notas em uma pianola. E assim foi feito.

A tecnologia utilizada na época é a mesma que hoje utilizamos nas redes móveis, dispositivos Bluetooth e Wi-Fi.

Em tempos em que áreas como ciências e tecnologia não parecem receber bem mulheres, é sempre bom ressaltar os feitos de grandes profissionais que deixaram a sua marca. Que tal usar a história dessas brilhantes inspiradoras para escrever a sua?

Compartilhe