Inspire-se com a história e as escolhas do ex-morador de rua que hoje é empreendedor
Publicado em 12/09/2019
Categoria: Sua Vida |
Tags: , , ,

Cleber Santos experimentou os dois extremos da vida. Foi abandonado pelo pai, morou na rua e, hoje, aos 30 anos, é proprietário da ComportPet. Seu espaço de consultoria comportamental e serviços de hotelaria para pets recebe diariamente mais de 80 cachorros, realiza cerca de 60 atendimentos em domicílio semanalmente, incluindo consultoria para personalidades como o DJ Alok e a apresentadora Adriane Galisteu, e fatura aproximadamente R$ 800 mil por ano. 

Marcas de um passado turbulento

Cleber não teve uma trajetória fácil, abandonado para adoção pelo pai com apenas um ano de idade, passou por três famílias diferentes até os 14 anos, quando reencontrou sua mãe biológica e deixou Salvador rumo à São Paulo.

Fugiu de casa várias vezes até optar por morar na rua, onde passou dois anos. Sem nenhuma perspectiva de mudança, viu inúmeros amigos se perderem nas drogas. Apesar do cenário triste, Cleber ainda se lembra de passagens desse período com carinho: “As pessoas eram muito solidárias. Não sabia bem o motivo que levou cada um deles às ruas, mas havia uma solidariedade incrível, principalmente com os animais de rua”, conta ele.

Um encontro especial

Foi nas ruas que encontrou alguém que, como o empresário gosta de ressaltar, foi sua salvação: um cachorro batizado por ele de Grafit. O cãozinho despertou no jovem o amor por animais, que dali para frente se tornaria um norte para sua vida.

Graças ao Grafit, Cleber decidiu mudar radicalmente. Seguiu sua paixão e arranjou emprego em um pet shop, retomou os estudos e o controle de sua vida. Aos 18 anos, ingressou no serviço militar, onde encontrou outro rumo para sua vocação: treinamento de cães militares.

Ao sair do Exército, continuou a atuar como adestrador, tendo trabalhado para grandes canis do interior de São Paulo, treinando cães de policiais e civis de todo o Brasil.

Leia também:

>Escolhas que fazem a diferença: conselhos de uma jovem que, aos 22 anos, é gestora no GPA

>Leyla Nascimento: saiba mais e inspire-se com a executiva de RH habituada a quebrar paradigmas

O nascimento da ComportPet

Foi em 2010 que Cleber decidiu abrir seu próprio negócio, mas como tudo em sua trajetória, não foi fácil. “Em 2011, percebi que não entendia muito sobre empreendedorismo e resolvi fechar o meu negócio para investir em um curso. Depois de estudar e me aprimorar, reabri a ComportPet no final de 2012”, conta.

Ele se aprimorou, fez diversos cursos, estágios e especializações, inclusive em outros países – Canadá, Estados Unidos, Argentina, Chile e Alemanha – e, a partir de 2012, o negócio deslanchou. 

“Comecei a empresa praticamente sozinho, há 8 anos, e hoje tenho uma equipe de 15 funcionários. Crescemos muito e continuo a investir no negócio, sempre oferecendo serviços de qualidade e com foco no bem-estar e no desenvolvimento dos pets, e na construção de uma relação mais harmônica com seus tutores”, explica.

Atualmente, a ComportPet oferece hotelaria para pets, adestramento, musicoterapia, além de palestras em pet shops por todo o país para capacitar funcionários quanto ao comportamento animal.

Ações Sociais

Todos sabemos da sensação de bem-estar e acolhimento que um animalzinho doméstico pode trazer. Pensando nisso, Cleber desenvolveu o Pet Terapia, que atua desde 2012 em grandes hospitais. O projeto proporciona a pacientes em tratamento interações com animais como ferramenta de estímulo físico e emocional.

O Pet Terapia também estendeu seu trabalho para asilos, levando os cães para que os idosos possam ter contato com eles, proporcionando um dia diferente e divertido.

Em agradecimento àqueles que transformaram sua vida, Cleber também dedica um trabalho voluntário para cães de rua.

“Atualmente, nosso projeto ajuda, em média, 50 cães por mês com alimentação, vermífugo, vacina e banho. Recolhemos os itens, entregues por voluntários em nosso espaço, e entregamos aos tutores de cães de ruas no centro da cidade de São Paulo. Também fazemos ações pontuais em outras regiões, como a grande São Paulo”, explica.

Das noites frias nas ruas da capital paulista ao sucesso como adestrador de cães, o amor por uma causa e muito empenho foram capazes de reescrever uma história de tristeza em superação.

O garoto cresceu, mas sua paixão e gratidão pelos animais permanecem intactas e continuam guiando seus passos: “Eu quero devolver um pouco do que eles, os animais, me proporcionaram. Eles mudaram a minha vida completamente, e doar um pouco do meu tempo e dinheiro para eles é o mínimo que eu posso fazer hoje.”

Compartilhe