Saiba por que o RH precisa saber mais sobre Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (AI)
Publicado em 19/06/2019
Categoria: Sua Empresa |
Tags: , , , ,
Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (AI) certamente são estágios mais avançados da digitalização. Por isso, desde já, devem estar no radar dos profissionais de Recursos Humanos que não querem ficar para trás.

Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (AI) certamente são estágios mais avançados da digitalização. Por isso, desde já, devem estar no radar dos profissionais de Recursos Humanos que não querem ficar para trás.

O que a Internet das Coisas pode fazer por você?

“A IoT, por exemplo, a gente já sabe que tem várias garagens trabalhando, algumas startups pra sair, em que o candidato, por meio da realidade virtual, vai conseguir identificar, passando pela Avenida Paulista, quais edifícios há vagas disponíveis”, ilustra Ricardo Barcelos. Ele é sócio-fundador da Havik, consultoria de recursos humanos atenta a esses movimentos.

Ricardo explica como a ferramenta pode facilitar a vida de empresas e de quem está à procura de uma vaga. “Então, você pode oferecer ao profissional a oportunidade de encontrar um emprego perto de sua residência utilizando essa tecnologia. Em vez de ficar procurando em diversos sites de oportunidades, ele pode simplesmente ligar o app e ter essas informações”, explica ele. 

Os benefícios da Inteligência Artificial

Quando o tema é Inteligência Artificial e Big Data, Barcelos até cita clientes da Havik que conseguiram resultados aplicando tais soluções para otimizar sobretudo a seleção de funcionários.

“Enquanto a Serasa Experian construiu um processo de atração e recrutamento digital com uma sensível resposta ao seu processo de seleção, a Stone reviu o seu processo de atração e recrutamento. Para isso, usou inteligência artificial e machine learning para identificar perfis antes mesmo do processo de entrevistas”, conta.

Segundo ele, isso apresentou benefícios, por exemplo, na área comercial, ao conseguirem identificar o perfil certo da área de vendas para um produto específico.

Como resultado, tiveram aumento de receita e do número de clientes depois que recalibraram essas tecnologias para terem o perfil certo como referência.

Leia também:

>O que os países latino-americanos podem nos ensinar sobre RH?

>Repensar processos para se manter atrativa aos profissionais é prática de RH da Bayer

Prepare-se para o mercado do futuro

A ascensão tecnológica tem transformado as formas de trabalho na atualidade. Mas o que esperar das próximas décadas? Um levantamento realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) identificou 30 profissões que surgirão em oito áreas com a nova revolução, chamada de Indústria 4.0.

Dentre as profissões do futuro estão: técnico em informática veicular, analista de defesa e segurança digital, técnico em impressões de alimentos e projetista para tecnologias 3D.

Para estar pronto para essa nova fase, é importante atentar-se ao fato de que, gradativamente, o trabalho braçal vai deixando de ser requisitado. Com isso, claro, a demanda passa a ser intelectual.

Empresas e colaboradores precisam se adaptar a esse novo contexto: elas, responsabilizando-se por fornecer treinamentos e capacitação; já eles, investindo em sua própria formação para atender às exigências do mercado.

Compartilhe